Atividade Paranormal 3 é o capítulo mais assustador da franquia.

 

Talvez pela direção mais ágil da dupla Henry Joost e Ariel Schulman (do documentário-sensação “Catfish”), talvez pelo humor acrescentado ao roteiro (uma vez que o filme perdeu sua aura de “história real”), ou quem sabe por ter crianças como protagonistas, o fato é que “Atividade Paranormal 3″ é muito melhor que seus antecessores – e o capítulo mais assustador da franquia.
A trama, escrita por Christopher B. Landon (“Atividade Paranormal 2″), que já havia regressado no tempo em seu segundo capítulo, dá mais um salto temporal ainda maior, a 1988, para acompanhar as atormentadas irmãs Katie (Chloe Csengery) e Kristi (Jessica Tyler Brown) ainda crianças, quando mudam-se com os pais para uma nova casa.



Não demora muito para que eventos sobrenaturais comecem a acontecer e o padrasto das crianças (Christopher Nicholas Smith), um cinegrafista profissional, decide espalhar câmeras pelo lugar para registrar o poltergeist.
Apesar de flertar com uma fórmula desgastada, o filme consegue criar um bom clima de suspense e prender a atenção, graças principalmente ao seu formato de “filmagem caseira”, que (ainda) faz o espectador ter a sensação de estar testemunhando fatos verídicos. Agora que o público já sabe que um demônio está à espreita, qualquer sombra escondida em um canto da tela pode ser sinal para saltos involuntários da cadeira.




As artimanhas da dupla Joost-Schulman para criar tensão e medo são tão bem elaboradas, que alguns descuidos técnicos e resoluções absurdas por parte do roteiro são facilmente perdoadas. As talentosas protagonistas mirins também merecem crédito, sobretudo a pequena Jessica, que atua com naturalidade até mesmo nas cenas mais angustiantes.
“Atividade Paranormal 3″ teve uma estreia impressionante nos EUA (US$ 54 milhões de arrecadação, recorde de estreia de terror em todos os tempos), então, mais sustos devem vir na franquia. Mas é bom que a próxima continuação seja ambientada nos dias atuais – o paradeiro de Katie (Katie Featherston), que desapareceu no final do primeiro filme seria um bom gancho -, porque se a franquia continuar retornando no tempo, por mais criativos que sejam os diretores encarregados, será dificil engolir uma assombração vista através das ultrassonografias da mãe das garotas!

Fonte

Minha Opinião: Fui ao cinema no sabado com minhas amigas ver esse filme e sem sombra de dúvidas de que o 3º foi o melhor filme da franquia, pois foi uma boa combinação de terror e suspense ultrapassando os dois primeiros. A história então, nem se fala. E o final me fez ficar ansiosa para o próximo por ser surpreendente e assustador. E parece que vem 4 e acho que vai contar a história da avó das meninas, pois pelo o que eu percebi ela é o inicio de tudo.


Trailer
 

1 comentários:

  1. Este filme é muito bom!
    ...curioso para ver esta sequência!
    _________

    Seguindo!

    DELLONE

    __________
    caso queira conhecer o que chamo
    de meu "Silêncio"

    www.silenceshadows.blogspot.com

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Adália Sá | Não retire os créditos